Como o racismo estrutural dificulta o acesso dos quilombolas à saúde?

A luta dos quilombolas por direitos como saúde, alimentação, educação e território é atravessada pelo racismo estrutural, sobretudo frente aos desafios provocados pela pandemia. Durante a crise sanitária da Covid-19, as comunidades quilombolas precisaram se unir em busca de vacinação prioritária e efetiva.As comunidades tradicionais foram reconhecidas como grupo prioritário de vacinação contra o novo coronavírus pelo Supremo Tribunal Federal (STF) somente em fevereiro de 2021. A conquista foi resultado da pressão exercida pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais

Fonte: Como o racismo estrutural dificulta o acesso dos quilombolas à saúde?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: