Mortes em operações: capacitação antirracista para policiais não é a solução

As mortes de Viviane Soares, 40 anos, Maria Célia Santana, 73, na Bahia, bem como da jovem Kathlen de Oliveira, 24 anos, grávida, que morreu após a bala perdida encontrá-la num suposto confronto do tráfico e policiais, no Rio de Janeiro, atestam que há, independentemente das governanças de esquerda ou conservadoras, afinidades genocidas estruturais empregadas pela Polícia Militar, como expediente duma política dos Estados Nações e do discurso de Guerra às Drogas.Qual a solução? Dar capacitação antirracista pra os policiais com certeza que não é.Na moral, resgatem as contribuições da obra B

Fonte: Mortes em operações: capacitação antirracista para policiais não é a solução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s