Moradores veem provas forjadas pela polícia para justificar morte de jovem tatuador

Moradores da Favela da Felicidade, no Jardim São Luiz, Zona Sul de São Paulo, protestaram contra o assassinato de um jovem tatuador morto pela Polícia Civil quando estava a caminho do trabalho ontem (14). Segundo testemunhas, os policiais forjaram a cena do crime para incriminar o rapaz.Gilberto Tito Amâncio, de 28 anos, não tinha estúdio de tatuagem e atendia os clientes a domicílio. Na manhã da sexta-feira, ele caminhava para a casa de um cliente, na mesma favela, quando entrou em uma viela e foi morto pelos policiais.Segundo testemunhas, para descaracterizar o crime, os policiais forjar

Fonte: Moradores veem provas forjadas pela polícia para justificar morte de jovem tatuador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s