Tucanistão: Hospital de Campinas tem rotina de práticas racistas contra gestantes negras

O Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo, é considerado pelo governo do estado um importante equipamento de atendimento às mulheres. Segundo relatos de pacientes e fontes ligadas à área da saúde, as mulheres e gestantes negras, sobretudo as pobres, são vítimas rotineiras de racismo e violência obstétrica na unidade hospitalar.De acordo com relatos coletados pela Alma Preta Jornalismo, os médicos recorrentemente fazem um procedimento chamado “lâmina”, que consite em forçar o períneo da gestante para acelera

Fonte: Hospital de Campinas tem rotina de práticas racistas contra gestantes negras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s